Justificação: O Coração do Evangelho

3 09 2011

Para o Apóstolo Paulo, a doutrina da justificação é o coração do evangelho (Rom. 1 :17; 3:21-5:21; Gal. 2:15-5:1). Martinho Lutero declarou que a justificação era  a doutrina pela qual “a igreja ou prevalece ou cai”. O mentor do R. C. Sproul, John Gerstner vai mais além ao lembrar-nos que não é apenas a igreja que prevalece ou cai através de esta doutrina, “mas o individuo também”.

Como a justificação é tão importante, é necessário que nós  tenhamos um entendimento claro do que esta doutrina ensina. Enquanto lia Gálatas na “Biblia de Estudo da Reforma” (The Reformation Study Bible) recentemente. Eu apreciei a explicação clara e sucinta que era oferecida no artigo teológico sobre justificação.


Justificação é um acto de Deus de perdoar pecadores e aceita-los como justos pela causa de Cristo. Nela, Deus repara permanentemente o  anterior relacionamento alienado (d0 pecador para com Deus) com Ele próprio. Esta frase justificadora de Deus é o outorgamente de um estado de aceitação pela causa de Jesus. (2 Cor. 5:21)

Justificação é um acto de Deus de perdoar pecadores e aceita-los como justos…

O julgamento justificador de Deus parece estranho, pois pronunciar pecadores como justos pode parecer precisamente o tipo de acção injusta que a própria lei de Deus proíbe. (Deut. 25:1; Prov. 17:15). No entanto é um julgamento justo, pois a sua base é a rectidão de Jesus Cristo. Como “o ultimo Adão” (1 Cor. 15:45), o nosso representante máximo agindo em nosso favor, Cristo obedeceu a lei que nos prendia e suportou o castigo pela iniquidade que merecíamos. E assim “conquistou” a nossa justificação. A nossa justificação é feita numa base justa (Rom 3:25, 26; 1 Jo 1:9), com a retidão de Cristo imputada em nossa conta (Rom 5:18, 19).

A decisão justificadora de Deus é na realidade o julgamento do Último Dia a respeito de onde passaremos a eternidade, antecipada para o presente e pronunciada aqui e agora. É um juízo sobre o nosso destino eterno, Deus nunca vai revoga-lo, por mais que Satanás possa apelar contra o veredicto.(Zac. 3:1; Rom. 8:33, 34; Apoc. 12:10). Ser justificado é estar eternamente seguro (Rm 5:1-5; 8:30).

Ser justificado é estar eternamente seguro 

O meio necessário para a justificação é a fé em Jesus Cristo como Senhor e Salvador crucificado e ressuscitado (Rm 4:23-25​​; 10:8-13).A fé é necessária porque o fundamento meritório da nossa justificação está totalmenteem Cristo. Conforme nós nos entregamos  a Cristo pela fé, Jesus oferece-nos a sua dádiva de rectidão, para que no próprio acto de “chegarmo-nos a Cristo”, como diziam os velhos professores da reforma diziam, recebamos o perdão e aceitação divino que não encontramos em mais lado nenhum. (Gal. 2:15, 16; 3:24).

Fonte: http://www.ligonier.org/blog/justification-heart-gospel/

Autor: Nathan W. Bingham                               Tradução: Fábio Silva


Ações

Information

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: